top of page

Ansiedade de alto funcionamento: quando se tem um bom desempenho apesar de uma perturbação


A ansiedade que me levou à exaustão


A ansiedade assume muitas formas. Hoje, quero simplesmente partilhar convosco a minha experiência pessoal com aquilo que é reconhecido como ansiedade de alto funcionamento.


Sofri de ansiedade desde muito cedo. Quando andava na pré-primária, lembro-me de não querer ir para a cama à noite sem ter "enumerado os meus problemas do dia" aos meus pais - ambos aflitos com o sofrimento de uma criança de 4 anos a quem, obviamente, queriam dar uma infância despreocupada e feliz...


Desde então, acordei sempre com um nó no estômago, com medo do que me ia acontecer fora de casa nesse dia; do que os meus colegas iam fazer e dizer; das possíveis discussões do dia entre amigos; da dificuldade dos trabalhos de casa; dos exercícios impostos na aula de ginástica; da ementa da cantina... e por aí fora!


Mas o pior período foi durante os meus estudos, que escolhi para agradar à minha família e deixar o meu pai ainda mais orgulhoso da sua menina que tinha sido a melhor da turma. O meu coração chamava-me para a profissão de psicóloga (que surpresa... ;), mas a minha cabeça optou por uma escolha puramente racional, desprovida de qualquer interesse. Assim começaram 5 longos anos de estudos na SciencesPo Paris, seguidos de uma brilhante carreira internacional com tudo o que isso implica, mas acompanhada de um vazio interior impressionante.


Como de costume (não se pode mudar uma equipa vencedora), tive um desempenho excelente em tudo o que fiz. Exercia uma pressão insana sobre mim própria para "ter sucesso" e subir cada vez mais alto. Estava tão envolvida na espiral infernal de "sempre mais" e "nunca é suficiente" em relação a mim própria que, ao fim de 2-3 anos num emprego, estava terrivelmente aborrecida. Precisava desta pressão constante e incessante para me sentir útil, viva e estimulada. Assim que havia demasiados dias " calmos" no trabalho, eu enlouquecia. Não conseguia perceber como é que os meus colegas se divertiam e tratavam dos seus assuntos pessoais. Mais valia estar a correr de um lado para o outro, pois tínhamos de estar ali 8 horas por dia...!


Quando os meus antigos colegas descobriram que eu tinha tido um esgotamento, ficaram estupefactos: "Parecias tão calma, davas a impressão de que tudo estava sob controlo, gerias o teu trabalho com mão de mestre e subias na hierarquia uma escada atrás da outra!


Estava a interiorizar o meu stress, as minhas preocupações e a minha ansiedade. Tinha dificuldade em aceitar a ajuda dos outros e até em abrir-me com os meus amigos, com medo de ser vulnerável e de parecer fraca, de ser mal compreendida ou de ser vista como uma "Drama Queen" (um termo que tinha ouvido em criança).



A ponta do icebergue


A ansiedade alto-funcional é caracterizada por sintomas de ansiedade que, embora não impeçam uma pessoa de ser produtiva e funcional, podem fazer com que ela experimente lutas internas típicas desta perturbação, tais como: preocupação excessiva, agitação constante, pensamentos acelerados ou sensação de que algo de mau pode acontecer.


A principal diferença em relação a outras perturbações de ansiedade reside na forma como percepcionamos e reagimos a estes sintomas.


Para as pessoas que sofrem de ansiedade de alto funcionamento, existe normalmente uma reação de luta que envolve trabalhar mais para tentar combater a ansiedade. Pode mesmo chamar-se-lhe perfeccionismo.


Por fora, as pessoas com ansiedade de alto nível parecem:

  • Altamente organizadas

  • Orientadas para os pormenores

  • Pró-activas

  • Altamente eficientes


Mas por dentro:

  • Pensam sem parar

  • Sentem-se sobrecarregadas

  • Planeiam tudo

  • Têm medo de perder o controlo

  • Duvidam de si próprias

  • Temem o fracasso

  • Nunca se sentem adequadas

  • Não conseguem relaxar

  • Necessitam estar constantemente ocupadas

  • Necessitam agradar a toda a gente

  • Não conseguem dizer não ou estabelecer limites

  • Têm dificuldade em expressar as suas emoções

  • Sentem-se irritáveis e exaustas



Como é que pode aliviar esta ansiedade?


Se está a debater-se com ansiedade, exaustão e dor crónica ou desconforto relacionados com este stress, tensão e pressão perpétuos (muitos dos quais pode estar a infligir a si próprio, se for como eu era...), então veio ao sítio certo.


Eu já passei por isso. Eu própria lutei com a desregulação total do meu sistema nervoso, lidando com exaustão, ansiedade, depressão e síndroma do intestino irritável - para citar apenas alguns sintomas.


Levei anos a montar o puzzle e a curar-me a 100%. Atualmente, vivo a minha segunda vida com a minha família, incluindo três cavalos, em 7 hectares de terreno em Portugal.


Não precisa de passar anos à procura de soluções, como eu fiz - estou aqui para o ajudar a curar mais rapidamente, através do poder inato de cura e calmante desse fabuloso companheiro: o seu CORPO 🤍


Com todo o meu amor,

Ana

Comentarios


bottom of page